Perguntas Frequentes – FAQ

Os passageiros têm que ter e levar bicicleta própria?
Sim, excepto as crianças transportadas pelos pais em cadeirinha ou equivalente.

Qual o nível de habilidade necessária para as crianças?
Ter um equilíbrio razoável (sem rodinhas, sem quedas frequentes) e saber usar os travões é o suficiente.

É necessário pagar alguma coisa?
As crianças e encarregados de educação não pagam por este serviço. Dependendo da linha e das entidades envolvidas, as atividades são financiadas por parceiros do projeto.

O comboio de crianças é acompanhado por adultos?
Sim, haverá sempre pelo menos um adulto responsável pela condução do comboio. Este poderá ser ajudado por outros adultos monitores que queiram participar (membros do projeto CicloExpresso, familiares e outros membros da comunidade).

Quantos monitores acompanham o comboio?
Por regra, estabelece-se que deve estar presente pelo menos 1 monitor por cada 4 crianças. Habitualmente, os familiares que participação na atividade fazem ultrapassar largamente este mínimo.

Como se faz o regresso da escola?
Em função dos horários de saída distintos das crianças, nem sempre é possível criar um comboio de regresso. Alguns pais transportam a bicicleta no carro ou autocarro, outros conseguem ir buscar o educando de bicicleta ou a pé, outros ainda permitem que os filhos regressem sozinhos ou em grupo. Informalmente, à medida que a comunidade da linha se solidifica, organizam-se por vezes mini-comboios de regresso.

É necessário usar capacete?
Os estudos existentes indicam vantagens e desvantagens na promoção e utilização de capacete. O CicloExpresso deixa essa decisão inteiramente aos encarregados de educação.

E ao chegar à escola, onde fica a bicicleta?
Após a inscrição, serão dadas instruções sobre o local do estacionamento das bicicletas. Em cada escola, procuramos sensibilizar os agentes locais (direção da escola, juntas de freguesia e autarquias) para a necessidade de infraestrutura segura para este efeito. A bicicleta deverá ficar trancada com um bom cadeado (por exemplo cadeados em U ou semi-rigidos).

Como surgiu o CicloExpresso?
Em 2015, quando o seu filho fez 5 anos e já sabia manejar bem a bicicleta, um pai que queria contribuir para que mais crianças pudessem ir de bicicleta para a escola decidiu criar um comboio de bicicletas para a escola do seu filho. Obtendo o apoio institucional da Junta de Freguesia local e da Associação de Pais da Escola Parque das Nações, o primeiro comboio partiu a 25 de Maio e teve logo nesse dia a adesão de 12 crianças. Ora os pais, ora outros voluntários e por vezes elementos da Junta de Freguesia, vão garantindo desde esse dia que todas as sextas-feiras e de forma quase ininterrupta, o CicloExpresso do Oriente continua até hoje a levar crianças à Escola do Parque das Nações. Já no início de 2017 surgiu outro CicloExpresso, o de Barrocas, em Aveiro, que continua até hoje a levar crianças à Escola Básica das Barrocas.